Início Sementes Semente de milho: a protagonista da lavoura de sucesso

Semente de milho: a protagonista da lavoura de sucesso

Semente de milho: entenda a diferença entre grão e semente, qual melhor forma de plantio, o que é semente híbrida e mais! 

Dada a importância da competitividade do mercado brasileiro de carnes, a produção de milho tem aumentado gradativamente, especialmente na segunda safra.  

Segundo a Conab, safra 20/21 teremos um novo recorde na produção de grão de milho com uma estimada de 109 milhões de toneladas, crescimento de 6,2% sobre a produção de 2019/20. São produzidas 24,5 milhões na primeira safra, 82,6 milhões na segunda safra e 1,8 milhão na terceira safra. 

O sucesso da produtividade da lavoura de milho depende de vários fatores que vão desde o plantio, tratos culturais, até a colheita.  

Dentre eles, um dos mais importantes é o uso de sementes com alta qualidade e certificada com valor agregado para que aconteça o rápido estabelecimento da lavoura na área.   

Devemos sempre nos lembrar que a semente é um dos principais insumos da agricultura e é o veículo de toda tecnologia gerada nos programas de melhoramento. Vamos entender mais sobre a semente de milho? Confira a seguir! 

Qual a diferença entre sementes e grãos de milho? 

A composição química é a mesma, o que irá diferenciar é que durante a produção, colheita e armazenamento para a produção de sementes são tomados todos os cuidados para que a semente continue viva, pois ela irá perpetuar a espécie gerando uma nova planta com alto potencial produtivo.  

Sementes de qualidade atendem os atributos físicos, fisiológicos, sanitários e genéticos e, produzidas sob sistema de certificação têm a garantia de todos estes atributos, pois padrões rígidos de qualidade são seguidos.  

Além disso, quando pensamos em sementes produzidas a partir do cruzamento de linhagens, temos sementes com alto vigor híbrido com produtividade superior ao uso do grão comum. 

A pureza física do lote de sementes influência no estande de plantas. Os atributos fisiológicos, germinação e vigor, vão interferir na velocidade e uniformidade do estande, pois sempre é desejável um lote com alta germinação e vigor.  

A pureza genética vai garantir um estande com apenas plantas da cultivar adquirida, sem o perigo de contaminação. Já a sanidade das sementes ajuda na prevenção de doenças já que servem de veículo para alguns patógenos (microrganismos e insetos). 

Aqui na Sementes Biomatrix possuímos padrões de qualidade mais rígidos do que os exigidos por lei para levar sempre a melhor semente para nossos clientes.  

O grão comum por sua vez, por não ser produzido com todos esses cuidados pode reduzir drasticamente a produtividade da lavoura, por possuírem menor qualidade fisiológica e ocorrência de pragas, doenças e plantas daninhas que o produto pode introduzir na propriedade, além de não carregar todo o potencial genético 

A taxa de utilização de sementes (TUS) é o percentual de sementes legais que foi utilizada pelos agricultores. Segundo a ABRASEM, na safra 2018/2019 para a cultura do milho foi de 91%, isso reforça que o produtor sabe que utilizando sementes certificadas o ganho na produtividade é significativo. 

Fonte: Abrasem, 2019 

Qual a melhor forma de plantar milho? 

Para o plantio de milho devemos levar em conta: 

  • As características físicas e de fertilidade do solo: o preparo do solo antes da semeadura é de suma importância para que a semente expresse seu máximo potencial de qualidade; 
  • Levantamento de patógenos de ocorrência na área: isso ajudará na escolha correta do cultivar para semeadura e no uso de tratamento industrial de sementes (TSI); 
  • Levantamento dos herbicidas utilizados na safra anterior: isso evita fitotoxidez e auxilia para um estande uniforme de plantas; 
  • Época de plantio, pois isso pode alterar a disponibilidade de água, temperatura e fotoperíodo nos estágios críticos de desenvolvimento da planta; 
  • Escolha da semente: o cultivar mais indicado para a região, qual a finalidade e qual o nível de investimento para ter os retornos; 
  • As recomendações de população e plantabilidade, para uma lavoura uniforme; 
  • Controle de plantas daninhas: evitando a competição pelos nutrientes do solo; 
  • Controle de insetos-pragas e doenças: para garantir a produtividade desejada. 

Informações mais detalhadas do plantio estão disponíveis no texto: “Como plantar milho: 5 perguntas e respostas para alta produtividade”. 

O que é semente de milho híbrida? 

Dentre as sementes ofertadas, temos o milho híbrido que é a primeira geração obtida através do cruzamento de linhagens puras, obtendo-se sementes com vigor híbrido, capazes de gerar plantas com produtividade superior.  

Os principais tipos de híbridos são: híbrido simples, híbrido duplo, híbrido triplo, híbrido simples modificado e híbrido triplo modificado. Veja mais em “Híbrido de milho: O que é e outros fatores para considerar em uma semente”

Qual melhor semente para plantar milho? 

A semente de milho deve ser proveniente de empresas credenciadas junto ao MAPA, devidamente registradas no Resanem (Registro Nacional de Sementes e Mudas), pois isso assegura que a semente possui todos os atributos de qualidade já mencionados (qualidade física, fisiológica, genética e sanitária). 

Além disso, deve ser avaliada a região, nível de investimento e finalidade da cultura para poder identificar corretamente qual a melhor semente. 

O que é uma semente de milho transgênica? 

Outra opção amplamente disponível no mercado são as sementes transgênicas. Sementes transgênicas contêm um ou mais genes introduzidos por meio da técnica de transformação genética que podem conferir resistência a herbicida e insetos. 

Anualmente a Embrapa emite um informe com todos cultivares disponíveis no mercado de acordo com informações obtidas através dos portfólios das empresas produtoras de sementes e para a safra 2019/2020, 86,4% foram híbridos simples, 5,8% híbridos triplos, 3,9% híbridos duplos, e 2,6% híbridos intervarietais. No levantamento foram listadas também 11 variedades, 2 (tops cross) e 28 cultivares não tiveram a genética empregada informada pelas empresas. 

Número de cultivares disponíveis no mercado de sementes de milho no Brasil, de acordo com o levantamento realizado pela Embrapa Milho e Sorgo nas empresas produtoras. 
Fonte: Embrapa, 2020 

Com relação à finalidade de uso, para a safra 2019/2020, 103 cultivares do levantamento eram de uso exclusivo para grãos, 90 para uso de silagem e 6 milhos especiais, sendo 4 para milho-verde e 2 para milho canjica de cor branca. 

Em função do custo-benefício do controle dos insetos-pragas, como as lagartas, tanto da parte aérea quanto de solo, além da tolerância aos herbicidas, como ao glifosato, a adoção em áreas cultivadas no Brasil com milho transgênico cresce ano a ano, evidenciando o aumento do uso de OGM’s (Organismos Geneticamente Modificados) por parte dos produtores.  

Ainda de acordo com o levantamento, as cultivares de milho transgênicas têm dominado o mercado nas últimas safras, e a adoção por parte do produtor está em nível muito elevado, principalmente no cultivo do milho após soja, chegando a 93% da área cultivada.   Com relação a distribuição das cultivares levando-se em consideração os eventos transgênicos disponíveis para o Brasil, das 196 cultivares disponíveis para a safra 2019/2020, 131 apresentavam eventos transgênicos, o que equivale a 66,8% do total. O restante (65 cultivares) é de cultivares convencionais. (Embrapa, 2020). 

Porcentagem de adoção de milho transgênico no Brasil projetada para safra de verão e inverno no ano agrícola 2018/19. 
Fonte: Embrapa, 2020 

No site da Sementes Biomatrix é possível selecionar o melhor híbrido para cultivo de acordo com a época de plantio, finalidade e região, confira neste link

Conclusão 

Aqui vimos que a semente de milho não é um grão qualquer e que a tecnologia nela embarcada pode ser surpreendente. 

Discutimos também os principais pontos para um bom plantio de milho e qual a melhor semente, ressaltando que uma semente de qualidade e a análise do seu negócio rural são os principais fatores de escolha. 

Bibliografia 

*Colaboração de Milena Christy Santos, Engenheira Agrônoma e Mestre em Produção e Tecnologia de Sementes pela UFLA. Atualmente é Coordenadora de Qualidade na Helix Sementes. 

Associação Brasileira de Sementes e Mudas  <http://www.abrasem.com.br/estatisticas/#>. Acesso em: 11/05/2021. 

 PEREIRA FILHO, I. A.; BORGHI, E. Sementes de Milho: nova safra, novas cultivares e contínua a dominância dos transgênicos. Sete Lagoas, 2020. Disponível em: <https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/214366/1/Doc-251.pdf>. Acesso em: 11/05/2021. 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

EVENTOS PARCEIROS

Mais Lidas

Controle biológico de pragas: uso imprescindível

Controle biológico: entenda o que é, como aplicar em sua propriedade e quais são os diferentes tipos, além das vantagens e desvantagens. 

Silagem: como fornecer um alimento de alta qualidade para sua produção animal

Silagem: entenda o que é, seus principais tipos, características e saiba como produzir em quantidade e qualidade para alavancar sua produção animal 

Semente de milho: a protagonista da lavoura de sucesso

Semente de milho: entenda a diferença entre grão e semente, qual melhor forma de plantio, o que é semente híbrida e mais! 

Manejo de plantas daninhas em sorgo: Dual Gold e outras ferramentas de controle

Manejo de plantas daninhas em sorgo: competição das invasoras com a cultura, produtos recomendados, uso do Dual Gold, doses e outros. 

Estresse hídrico na cultura do milho: como minimizar os efeitos negativos

Estresse hídrico: entenda seus efeitos na planta do milho, quais os estágios mais críticos e como manejar para minimizar os prejuízos.