Início Manejo Fitossanitário Manejo de Doenças Mancha-branca no milho: como ocorre e como fazer seu controle

Mancha-branca no milho: como ocorre e como fazer seu controle

Mancha-branca no milho: Quais condições favorecem essa doença, como identificá-la no campo e quais os melhores métodos de controle.  

Conhecida como mancha-foliar-de-Phaeosphaeria (MFP), pinta-branca, feosferia ou apenas mancha-branca, essa doença do milho pode causar grandes estragos na cultura. Em condições favoráveis para sua ocorrência, as perdas podem chegar a 60% da produção

Especialmente devido à safrinha, nos últimos anos a mancha-branca está entre as doenças mais frequentes no Mato Grosso e outras importantes regiões produtoras do grão. 

No entanto, existem maneiras de evitar que essa doença ocorra na sua lavoura e mesmo de manejá-la quando ela já se encontra no campo. 

Aqui veremos como fazer isso, além de saber realizar sua correta identificação e entender mais sobre seu desenvolvimento. Veja a seguir! 

Manejo preventivo da mancha-branca no milho: evite que ela ocorra na sua área 

Condições favoráveis para a mancha-branco no milho 

Para realizar o manejo preventivo, precisamos entender as condições favoráveis para a mancha-branca no milho. 

Dois pontos que contribuem para a doença são a ascensão do cultivo de milho na segunda safra e o aumento de áreas de plantio direto. 

A safrinha de milho, ou 2ª safra, acontece no verão/outono, período em que as temperaturas começam a cair, há aumento da umidade do ar e diminuição de horas de sol. Todos esses fatores contribuem para maior molhamento da planta de milho, promovendo as doenças foliares, especialmente a mancha-branca. 

Já o plantio direto, favorece a doença devido ao fato de que um de seus patógenos (Phaeosphaeria maydis) sobrevive (hiberna) em restos culturais, como a palhada. 

Além disso, respingos de chuva e fortes ventos disseminam os esporos dos patógenos, fazendo com que atinjam mais plantas de milho. 

Componentes do triângulo da doença.
Fonte: Embrapa

Manejo preventivo para a mancha-branca 

Percebemos que quanto mais tardios forem os plantios, maiores as chances de ocorrência da mancha-branca no milho, portanto pode ser uma alternativa adiantar o plantio caso seja possível. 

Esteja também atento para as condições climáticas que favorecem a doença e o histórico de ocorrência na sua área e região, já que ela sobrevive na palhada. 

Atenção especial deve ser dada para a cultura do milho em seu período mais sensível ao ataque dos patógenos: o florescimento.  

Tenha em mente a maior probabilidade de ocorrência e danos pela doença na sua área, planejando suas aplicações de forma eficaz. 

Também para o manejo preventivo, é recomendado o uso de cultivares resistentes a mancha-branca. No mercado há desde híbridos com alta susceptibilidade, chegando a causar a morte da planta, e cultivares resistentes, com formação de poucas ou nenhuma lesão.  

Em regiões e/ou épocas (como a safrinha) que favoreçam o aparecimento da doença é preferível a semeadura de cultivares com maior nível de resistência.

Identificação da mancha-branca: Como saber essa doença está em minha lavoura 

A mancha-branca no milho é causada pelo complexo entre a bactéria Pantoea ananatis e o fungo Phaeosphaeria maydis. Até mesmo por isso, a doença pode ser chamada de “complexo mancha-branca”. 

Como já comentamos, o desenvolvimento da doença é favorecido por temperaturas amenas (14 a 20°C) e alta umidade relativa, sendo que a água livre na folha favorece a infecção inicial. São nessas condições que podemos verificar os sintomas na lavoura. 

A infecção é dada inicialmente pela bactéria que causa lesões pequenas com aspecto encharcado (anasarca) geralmente com 0,3 a 2,0 cm, mas podendo coalescer e formar grandes áreas afetadas.  

As lesões evoluem para manchas necróticas de coloração clara podendo inclusive apresentar estruturas fúngicas como picnídios (pontos negros). Em condições favoráveis para a doença as perdas podem chegar a 60% da produção

Os sintomas da mancha branca geralmente são observados a partir do florescimento, mas em condições favoráveis é possível encontrar lesões desde o estágio vegetativo (como em lavouras com 40 dias), começando no baixeiro da planta e rapidamente atingindo as folhas superiores.  

É importante ressaltar que o milho é uma planta extremamente sensível à perda de área foliar e, quando esta perda ocorre em plantas ainda jovens, há consequências diretas para a produção, com redução do ciclo e quedas acentuadas no tamanho e peso dos grãos. 

Isso porque a redução da área foliar ativa pode diminuir a produção dos fotossintatos, os quais seriam utilizados para enchimento de grãos, acarretando uma redução drástica da produtividade. 

Controle da mancha-branca

Além dos híbridos resistentes, o controle também pode ser realizado através de fungicidas, já que existem no mercado alguns produtos indicados para o controle químico da mancha branca do milho.  

As pesquisas mais recentes indicam que a mistura de estrobilurina+triazol com mancozebe ou outros protetores têm refletido bom controle para a doença.  

É recomendada uma aplicação na última entrada do trator (em torno de v6-v8), para proteger as folhas do baixeiro e outra pulverização em pré-pendoamento a fim de garantir o controle das folhas superiores, dependendo da suscetibilidade do material pode ser necessário uma terceira aplicação de fungicida após o florescimento. 

Veja como fazer o controle de outras doenças do milho:

Conclusão 

A mancha-branca no milho é uma doença que vem ganhando destaque devido ao aumento do plantio direto e cultivo na safrinha, o que favorece sua ocorrência. 

Aqui vimos como é seu desenvolvimento e sua identificação a campo, além no manejo preventivo e controle químico.  

Aproveite o conhecimento e realize o monitoramento de sua lavoura para saber se essa doença está em sua área! 

Bibliografia 

*Colaboração de Jeferson Rodrigo Pestana, engenheiro agrônomo, mestre em fitopatologia especialista em Proteção de Plantas. 

EMBRAPA. Árvore do conhecimento: doenças do milho. Disponível em: https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/.  

Como você faz o manejo da mancha-branco no milho hoje? Tem mais alguma dica? Restou alguma dúvida? Deixe seu comentário abaixo! 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

EVENTOS PARCEIROS

Mais Lidas

Tipos de silos para silagem: qual o melhor?

Tipos de silos para silagem: entenda as características de cada tipo e defina qual é o melhor que se encaixa na sua...

Tecnologia de aplicação de fitossanitários: como fazer aplicações com resultados ainda melhores

Tecnologia de aplicação: entenda melhor sobre volume de calda, tamanho de gotas, pontas de pulverização e outras dicas para garantir a eficiência das aplicações. 

População de plantas e produtividade do milho safrinha

População de plantas no milho safrinha: importância, taxa de semeadura adequada, como determinar a população correta e mais!  O...

Glufosinato de amônio: saiba como utilizar este herbicida no milho safrinha

Glufosinato de amônio: como funciona esse herbicida, quais plantas daninhas controle e quais as recomendações de uso.  Somente na safrinha de milho, também...

Plantio de milho safrinha: conceitos, época de semeadura e ciclo

Plantio de milho safrinha: veja o que é safra, safrinha e terceira safra, entenda sobre as épocas de semeaduras mais indicadas e...