Início Silagem Silagem de grão úmido: o que você deve saber para fazer a...

Silagem de grão úmido: o que você deve saber para fazer a melhor!

Silagem de grão úmido: Como fazer esse tipo de silagem, como é seu armazenamento, retirada e digestibilidade e outras dicas para aumentar sua produção com silagem! 

A silagem de grão úmido vem ganhando cada vez mais espaço na produção agropecuária. 

Cuidando bem para que todos os processos da silagem sejam executados corretamente, você com certeza terá um excelente alimento, com alto valor nutritivo, gerando muito resultado positivo dentro da fazenda.

No entanto, algumas dúvidas surgem ao começar a fazer essa prática, como a quantidade de água a ser adicionada, como fazer o armazenamento dessa silagem, como é sua retirada e muitos outros. 

Veja as respostas para essas dúvidas e mais informações em nosso artigo a seguir:  

Como fazer silagem de grão úmido? 

Para fazer uma boa silagem de grãos precisamos acertar principalmente em duas coisas: processar bem os grãos e ter uma umidade adequada para fermentação.  

Sobre a umidade, precisamos fornecer água para as bactérias fermentativas trabalharem ao nosso favor, quebrando as proteínas para facilitar a digestão do amido. Precisamos garantir entre 35 e 40 % de umidade nesse material para que a fermentação ocorra de maneira desejada. 

E nesse assunto há uma pergunta muito comum: 

Qual quantidade de água que devo adicionar na minha silagem de grão úmido? 

A quantidade de água a ser adicionada pode ser calculada pela fórmula abaixo: 
Quantidade de água (litros/ton) = {( % de MS grão / % de MS silagem)-1} * 1000   

Sobre o processamento, o ideal é que os grãos estejam completamente quebrados, não pode haver grãos inteiros. Esse cuidado deve ser redobrado em silagem de sorgo grão úmido, principalmente quando utilizamos embutidoras com rolos processadores.

Lembre-se que grãos pequenos e duros vão dificultar a quebra e reduzir o desempenho do moinho e obviamente o desempenho do animal.  

Sementes Biomatrix, oferece híbridos específicos para produção de silagem de grão úmido, sendo de fácil processamento. Para isso os grãos são graúdos e farináceos.  Assim, opte por materiais que possuam características desejáveis para o processamento e digestibilidade, como os que você pode conferir  aqui

Detalhe das diferenças de tamanho dos grãos entre diferentes híbridos de milho

Se quiser saber um pouco mais do processo, te convidamos a acessar a live que a Sementes Biomatrix promoveu com seus consultores no youtube http://bit.ly/LiveSilagemdeAltaQualidadeBMX.  

Como deve ser feito o armazenamento da minha silagem de grão úmido? 

A silagem de grão úmido pode ser armazenada tanto em silos bolsa, trincheira ou até mesmo em tambores de 200 litros caso a operação seja pequena.  O que é fundamental mesmo é garantir uma boa compactação do material e uma vedação muito bem feita, expulsando todo o ar da massa.

O que não pode acontecer após feita a silagem, é deixar a lona furar! Dessa maneira vai entrar oxigênio e deteriorar sua silagem e as perdas vão aparecer. 

Portanto, proteja bem sua silagem do oxigênio. Fique de olho no seu silo. Furou? Tampe no mesmo instante! 

Como devo fazer a retirada da silagem de grão úmido? 

Um correto manejo de retirada vai garantir que você forneça sempre um alimento fresco para seus animais.  

Recomendamos que se faça uma retirada diária de pelo menos 20 centímetros. Procure dimensionar seu silo para garantir essa fatia de corte.  E lembre-se que a referência de qualidade é a silagem estar fresca no momento da retirada. Em algumas situações, o uso de inoculantes específicos podem auxiliar nesse ponto.

Ressaltamos que silagem quente significa que houve deterioração aeróbia acentuada (perdas/aquecimento). E perdas acentuadas não podemos admitir de forma alguma. Silagem quente é sinônimo de altas perdas

Qual a melhor opção para silagem de grão úmido: milho ou sorgo? 

Tanto o milho quanto o sorgo são excelentes escolhas para se fazer silagem de grão úmido na fazenda. Portanto, a melhor escolha será baseada em 3 fatores que vamos abordar em detalhes, e que é fundamental na tomada de decisão:

 
Disponibilidade na região 

O primeiro deles, é a disponibilidade na região, ou seja, tem que ter oferta do produto! Pense comigo “ Quero fazer silagem de grão úmido de sorgo, mas na minha região não tem oferta do grão”, o que eu faço? Use milho no lugar de sorgo! Só não deixe de fazer por esse motivo. 

Preço 

Aqui fica uma dica valiosa! Quanto mais caro for o preço do milho ou sorgo grão no mercado, maior o retorno de se fazer silagem de grão úmido na fazenda. 

São duas razões que justificam essa afirmativa. Primeiro é a possibilidade de comprar o grão em plena safra (quando o preço tende a ser menor devido à maior oferta). E o segundo ponto é que a ensilagem torna os grãos mais digestíveis. Ou seja, fornece mais energia por kg de matéria seca. 

Tipo de maquinário 

Por último, mas não menos importante, o tipo de maquinário que o produtor possui na fazenda. Moinho de martelo, embutidora de grãos com rolos processadores,  etc. 

Todos estes fatores devem ser considerados juntos para que o produtor tome as melhores decisões na confecção de sua silagem de grãos e tenha um produto a um custo honesto e com alto valor nutricional.  

Silagem de grão úmido na alimentação de ruminantes: Como é a digestibilidade? 

Quando ensilamos os grãos ocorre um grande aumento no aproveitamento do material pelos animais, ou seja, aumenta a digestibilidade do material.  Isso ocorre porque as bactérias (naturais e também aquelas adicionadas por inoculantes) que vão fermentar o material, também executam um processo muito importante, que chamamos de proteólise.

A proteólise é a quebra de camadas duras de proteína que protege o amido da digestão. Funciona da seguinte maneira: Pense no grão de milho ou sorgo como uma parede de concreto.

O tijolo é o amido (onde está a energia que o animal irá aproveitar) e protegendo esse tijolo (amido), está a massa de cimento (proteínas). O que faz o grão ficar duro, de difícil acesso, são essas proteínas.

Para facilitar o acesso ao tijolo, temos que quebrar o cimento. E é isso que as bactérias fazem no silo! Elas quebram as proteínas facilitando o acesso ao amido. Por isso, silagem de grão úmido possui maior e mais rápida digestão no rúmen dos animais. O amido é acessado mais facilmente pelas bactérias do rúmen.

Silagem de grão bem fermentada dissolve fácil na mão quando espremidas (como na figura abaixo). Este é um excelente sinal da digestibilidade aumentada pela ensilagem. 

Quanto se ganha com a ensilagem de grãos úmidos? 

O ganho na digestibilidade da silagem de grãos pode chegar a 20% quando bem feita. Entretanto é necessário que seja respeitado o tempo mínimo de estocagem (que é o tempo de “cura”, ou seja, tempo que a silagem fica fechada). Esse tempo mínimo é de 60 dias

Isso não quer dizer que você não possa abrir sua silagem antes dos 60 dias. Você pode, caso precise, porém, os ganhos em digestibilidade não serão maximizados. Portanto é importante respeitar esse período mínimo de 60 dias.  

Ao utilizar silagem de grãos nas dietas dos seus animais, eles vão responder produzindo mais leite ou mais carne consumindo menor quantidade de matéria seca. Isso quer dizer aumento na eficiência energética. Produz mais, comendo menos! 

Conclusão 

Sem sombra de dúvida, a ensilagem de grãos (incluindo a silagem de grão úmido) é hoje a tecnologia de maior retorno econômico na pecuária, seja de leite ou de corte.  

Até porque nós já vamos usar o milho ou sorgo na dieta dos animais, então, por que não ensilar esse material e ganhar 20% a mais de digestibilidade? 

Portanto, fazer silagem de grãos na fazenda vale muito a pena. “E tudo que vale a pena ser feito, vale a pena ser bem feito”. 

Desejamos muito sucesso na condução de suas atividades e espero que este artigo tenha agregado boas informações! 
  *Sobre o autor: Willian Santos, engenheiro agrônomo e Msc Produção Animal (UFLA). 

Você já faz silagem de grão úmido? Sabia de todas essas informações? Restou alguma dúvida? Escreva abaixo!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Lidas

Híbridos para safrinha: características para fazer a melhor escolha

Híbridos para safrinha: quais as características que o milho deve ter para minimizar possíveis prejuízos e garantir maior rentabilidade.  Você...

Implantação e manejo do consórcio milho-brachiaria

Consórcio milho-brachiaria: como impedir competição com o milho, como fazer manejo adequado e o ajuste de população de plantas, além de outras dicas...

Como plantar milho: 5 perguntas e respostas para alta produtividade

Como plantar milho: como preparar o solo para milho, épocas de plantio, diferenças entre milho silagem, milho-verde e milho grão e mais! 

Armazenamento de sementes de milho: importância e como fazer

Armazenamento de sementes de milho: entenda sua importância, os fatos que inferem no bom armazenamento e como fazer isso na revenda ou fazenda. 

Grãos ardidos em milho: manejo efetivo e sem prejuízos

Grãos ardidos em milho: quais são os fungos que causam, as condições que favorecem seu aparecimento e como fazer identificação e controle efetivo.