Início Manejo Fitossanitário Manejo de Pragas Spodoptera frugiperda: como realizar o manejo efetivo

Spodoptera frugiperda: como realizar o manejo efetivo

Spodoptera frugiperda: quais as opções eficientes de controle e entenda mais sobre a praga para realizar o manejo mais adequado 

A lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda) é considerada a principal praga da cultura do milho e uma das principais do país. E não é por menos, essa lagarta tem a capacidade de causar 100% de prejuízos na lavoura. 

O controle não realizado corretamente na cultura antecessora e alguns comportamentos da S. frugiperda fazem com que o manejo da praga se torne ainda mais difícil. 

Pensando nisso, separamos aqui as principais recomendações técnicas para o seu manejo efetivo. Confira! 

Identificação da Spodoptera frugiperda 

Para um bom manejo, primeiramente precisamos saber identificá-la corretamente, tanto a mariposa, quanto a lagarta, principalmente quando elas estão pequenas (nos primeiros ínstares), em que o controle é facilitado.  


Estágios da vida de Spodoptera frugiperda: A e B- ovos; C e F- ínstares larvais; H- macho adulto; I- macho adulto (vista dorsal); J- fêmea adulta; K- fêmea adulta (vista dorsal) 
Foto: Ankita Gupta 

A postura é feita na página superior das folhas. Uma única postura contém em média 100 a 300 ovos, mas pode encontrar posturas com até 2.000 ovos. A mariposa tem o costume de recobrir os ovos com suas escamas, que são como “pelos”, que tem a finalidade de protegê-los.   

A mariposa mede por volta de 35 mm de envergadura com asas anteriores pardo-escuras e posteriores branco-acinzentadas, como você pode ver na imagem acima.  

A lagarta no seu último instar chega a medir cerca de 50 mm de comprimento. A coloração varia de cinza-escuro a marrom. Tem três pares de pernas torácicas e 4 pares de pernas abdominais. Na cabeça tem um Y invertido, característico da espécie e que ajuda muito na sua identificação

Diferença entre espécies de Spodoptera spp. 

O complexo Spodoptera compreende diversas espécies. No Brasil, as 3 principais são a S. frugiperda (tema deste artigo), S eridania e S. cosmioides. É importante saber ao certo qual (ou quais) das espécies existem na sua área para o controle ser efetivo. Confira as principais diferenças na imagem abaixo: 

Biologia e ciclo da Spodoptera frugiperda 

Bem como a identificação que vimos acima, a biologia e comportamento da lagarta-do-cartucho também nos ajuda no manejo mais adequado. 

Dessa maneira, tudo começo com a mariposa colocando seus ovos nas folhas. Em média, demora de três a cinco dias para as lagartas nascerem.  

A lagartas nos seus primeiros ínstares vão se dispersando pelas plantas em volta, indo em direção das folhas mais novas, ou seja, para o cartucho. A dificuldade é enorme em conseguir atingi-las com os inseticidas devido a esse hábito.  

No início, as pequenas lagartas têm a capacidade de somente raspar as folhas, porém, assim que elas crescem tem a capacidade de destruir completamente a lavoura. 

S. spodoptera tem o hábito de canibalismo, por isso, é comum encontrar apenas uma lagarta grande por cartucho. Mesmo assim, podemos encontrar lagartas em diferentes instares num mesmo cartucho, separadas pelas lâminas das folhas.  

A lagarta passa por cinco instares ao todo e esse tempo varia de 12 a 30 dias. Finalizando seu período larval, as lagartas descem das plantas, penetrando no solo, onde se transformam em pupas. 

As pupas têm coloração avermelhada e medem por volta de 15 mm de comprimento. Esse período de pupa pode ser mais curto quando a temperatura é mais alta ou mais longo em períodos com temperatura mais amena, podendo variar de 8 a 25 dias. Após esse período, surgem os adultos.  A presença desse inseto na lavoura pode durar todo o ciclo da cultura. Assim, o ataque continua até o fim, causando danos no pendão e nas espigas. 

Como controlar Spodoptera frugiperda? 

Um dos maiores fatores de sucesso de controle é o combate no momento certo e a boa qualidade da tecnologia de aplicação. 

Portanto, para evitar o insucesso, é primordial o acompanhamento constante da lavoura.  

Outro ponto de atenção é que nunca devemos plantar o milho em uma área que já tenha a presença de lagartas remanescentes da lavoura anterior. Caso tenha a presença, é necessário eliminar essas lagartas com aplicações de inseticidas ainda na cultura anterior ou junto com o herbicida na dessecação para plantio. 

Isso também ajuda a evitar a presença de lagartas grandes na área e manejar as primeiras populações (pragas iniciais). De qualquer forma, é crucial garantir que a lavoura tenha seu início com a praga sobre controle. 

Além disso, sempre devemos fazer o tratamento de sementes, pois é um método de controle bastante eficiente. 

Inseticidas para Spodoptera frugiperda 

Existem vários produtos que podem ser usados para essa lagarta:  

  • Piretróides;  
  • Organofosforados (Clorpirifós, Acefato); 
  • Carbamatos (Metomil, Tiodicarb);  
  • Diamidas (Clorantraniliprole, Flubendiamida);  
  • Reguladores de Crescimento (benzoilureias – Teflubenzuron, Lufenuron, Novaluron, etc., diacilhidrazinas – Methoxyfonozide, Tebufenozide);  
  • Avermectinas (Benzoato de emamectina );  
  • Oxadiazinas (Indoxacarb, Metaflumizone);  
  • Spinosinas (Spinetoran, Spinosad);  
  • Análogo de pirazol (Clorfenapir). 

Sempre importante observar o uso de produtos que sejam mais seletivos aos inimigos naturais, sempre rotacionar o princípio ativo e, caso utilize variedades/híbridos Bt, utilizar a área de refúgio para evitar a resistência dos insetos. 

Existem produtos biológicos que também podem entrar como opção de aplicação, como o Baculovírus e Trichogramma pretiosum. 

Como fazer o Manejo Integrado de Pragas para Spodoptera frugiperda? 

O MIP é parte fundamental para um bom controle de pragas, especialmente da lagarta-do-cartucho. Dessa maneira, temos que integras as diferentes formas de controle, já aqui citadas. 

Além disso, com a emergência das plantas e com o monitoramento constante da lavoura, devemos adotar os níveis de controle preconizados pelo manejo integrado.  

Podemos adotar o nível de controle da Spodoptera frugiperda, por exemplo, sendo a nota 3 da escala Davis (20% de plantas atacadas). Ou seja, quando a lavoura estiver com lesões que correspondem a nota 3, entramos com alguma ação de controle. 

Para essa constatação em campo, é importante realizar o monitoramento com 6 pontos amostrados em uma área de até 9 ha, 8 pontos em uma área entre 10 e 29 ha e 10 pontos em uma área entre 30 e 100 ha. Em cada ponto é necessário examinar pelo menos 20 plantas. 

Veja também:

Conclusão 

Vimos aqui que, para controlar a praga de forma eficaz, precisamos monitorar a lavoura de milho constantemente para poder detectá-la cedo. Para isso, você pôde conferir como identificar e distinguir a S. frugiperda no campo. 

Também ficou claro que existem várias formas de controle, e integrá-las com o MIP é fundamental para o bom controle da lagarta-do-cartucho. 

Referências  

*Colaboração de:  

André Junior Andrade Peres, Consultor de Desenvolvimento de Mercado, Helix Sementes; Mestre em Agronomia (Agricultura) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho; Engenheiro Agrônomo – Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul 

Embrapa. Circular Técnica 114. 2009. 

Embrapa. Comunicado Técnico 98. 2005. 

IRAC. Comitê de Ação à Resistência a Inseticidas. Folder Spodoptera frugiperda

Você conhecia todas essas informações sobre a Spodoptera frugiperda? Tem mais alguma dica ou dúvida? 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Lidas

Híbridos para safrinha: características para fazer a melhor escolha

Híbridos para safrinha: quais as características que o milho deve ter para minimizar possíveis prejuízos e garantir maior rentabilidade.  Você...

Implantação e manejo do consórcio milho-brachiaria

Consórcio milho-brachiaria: como impedir competição com o milho, como fazer manejo adequado e o ajuste de população de plantas, além de outras dicas...

Como plantar milho: 5 perguntas e respostas para alta produtividade

Como plantar milho: como preparar o solo para milho, épocas de plantio, diferenças entre milho silagem, milho-verde e milho grão e mais! 

Armazenamento de sementes de milho: importância e como fazer

Armazenamento de sementes de milho: entenda sua importância, os fatos que inferem no bom armazenamento e como fazer isso na revenda ou fazenda. 

Grãos ardidos em milho: manejo efetivo e sem prejuízos

Grãos ardidos em milho: quais são os fungos que causam, as condições que favorecem seu aparecimento e como fazer identificação e controle efetivo.